Um pouco de saudosismo…

ayrton-senna-guia-a-frente-de-nigel-mansell-no-gp-da-australia-de-1991-1363439939548_1920x1080

             Depois de uma semana corrida, cheia de coisas para fazer, idas e vindas da oficina, problemas de carburação, regulagem de embreagem, cabo de freio de mão instalado e a notícia que preciso de uma embreagem e platô novos chega até que enfim o final de semana.

Depois do sábado, do ensaio com a banda, daquele ensaio que você vai para acertar, não o ensaio que você curte de boa, uma depois da outra, aquele ensaio que você erra, a banda para, volta tudo e treina até ficar perfeito. Não deu para passar todo o repertório, mas acertamos um bom tanto de coisas que eram necessárias. Aí como já chegava perto das 18:00 h. o ensaio chegou ao fim e cada um rumou para sua casa.

Havia previsão de chuva para o domingo, e dessa vez ela se cumpriu, amanheceu já chovendo por aqui, era pela manhã, bem cedo quando acordei e me dei conta do fato de ser domingo. Domingo é dia de corrida de fórmula um!

Levantei, lavei o rosto e sentei em frente da televisão com o controle remoto na mão, alheio ao calendário e procurei em vão uma corrida de fórmula um, canal por canal, no fundo eu sabia que não iria encontrar, mas algo mais forte me induziu a fazer isso de forma inconsciente buscando algo que não existia. Eu queria ver Senna correr na chuva, seu carro branco e vermelho, esperava ver o capacete dele dentro do carro a frente dos outros competidores, queria ver o pega dele com Nigel Mansell ou com o Prost.

            Alguns minutos depois, me dou conta que esse tempo já vivido mora apenas nas recordações de criança, apenas habitam em minhas memórias. Como era bom isso, como era especial, tinha garra, tinha emoção, suor, trabalho duro, o talento se mostrava um diferencial de cada piloto, menos tecnologia, mais potência, mais braço, menos eletrônica, mais garra, menos patrocínio, mais técnica menos holofotes… A coisa era assim antes.

Me senti um dinossauro, deslocado no tempo e no espaço, como será ser fã de fórmula 1 hoje em dia? Tem a mesma graça que antes? E se os que acompanham assiduamente o campeonato assistissem o que víamos no final da década de 80 e começo dos 90?

Para completar, saí de casa e fui para a garagem, sentei ao lado do Maverick, abri o rack do aparelho de som, e na ponta do dedo escolhi um vinil para rodar, escolhi um do Creedence, baixei a agulha lentamente sobre ele, o som do arrasto dela sobre o vinil, os primeiros acordes e a pegada inconfundível da banda misturada com o som fraquinho ao fundo do barulho de chuva me fez novamente desligar desse mundo insano que gira velozmente fazendo cada segundo vivido ir com velocidade assombrosa para um passado remoto.

            Um FORD abraço.

 

Sabugo

Anúncios

Um pensamento sobre “Um pouco de saudosismo…

  1. As corridas de F1 hoje é muito previsível, basta ver a largada que você já sabe quem vai ganhar, os carros não quebram. Assistir uma corrida nos anos 80 e 90 era diferente o piloto tinha que fazer tudo no braço, no ouvido e no talento para chegar no final da corrida. Sei lá o mundo tecnológico esta ficando um tanto sem graça.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s