Do simples início a Clapton.

 

n2

Já era sexta feira, a banda tinha um compromisso de tocar em um evento, o evento era sobre o contestado, mas a sexta feira assim como o restante dos dias da semana foi de chuva, não houve trégua. Carregamos os equipamentos, distribuímos em alguns veículos da banda e fomos até o local. Abaixo de chuva descarregamos tudo, usamos lonas para não molhar o equipamento, o que não serviu para nós, que nos molhamos bastante.

Montamos tudo da melhor maneira possível e passamos o som rapidamente, da forma que foi possível e com a maestria dos amadores que somos. Pois bem, na hora determinada subimos ao palco e do nosso jeito mandamos ver. Estava legal, mas não perfeito, mas enfim, tudo, ou melhor, quase tudo saiu como o previsto.

Terminada a apresentação era hora de desmontar tudo, carregar e voltar para casa. A tarefa seria moleza, isso se não estivesse ainda chovendo. O problema disso é que a lona que havia sobre a carroceria da F-1000 acabou enchendo de água e desceu, deu o maior trabalho para tirar a água dela para não rasgar, ficamos na chuva e completamente molhados. Por conta disso não foi possível trazer os equipamentos na camionete, só a água mesmo. Carregamos o que deu nos carros e rumamos para casa. Descarregamos a maior parte e para guardar a camionete na garagem e entrar em casa foi outro banho, como chovia!

Entro em casa e vou para o chuveiro, o relógio marca 22:40 e eu cansado de carregar e descarregar, de me molhar, correr, engatar cabo, passar som, sem janta, desisto da noite e vou para a cama. Ainda deitado antes de pegar no sono penso como seria bom se eu fosse dono de uma RURAL, não teria problema com chuva, pois é 4×4, nem teria trabalho com lona, ela é grande, capota de aço, cabe muita coisa e o melhor de tudo é que ela é antiga! Pego no sono e chego a sonhar com uma Rural 1968 branca e vermelha.

Acordo e vou trabalhar, pois é sábado. Voltando para casa, após o almoço ligo a tv e lá está passando em algum canal um show, haviam duas baterias no palco, um órgão, um contrabaixo e 3 guitarras, empunhando uma delas a lenda viva: Eric Clapton. Não havia como sair da frente da tv, era um misto de hipnose e admiração, como era possível aquele timbre em uma guitarra strato usando um cubo fender? Aquela pegada, o jeito de tocar, a perfeição das notas? Sem falar no entrosamento da banda.

Tudo bem, o cara é único. Mas as perguntas que ficaram foram: Quando ele começou, como é que ele carregava o equipamento, será que cabia no carro? Quantas chuvas ele já pegou com seu equipamento? Será que ele já nasceu moendo a guitarra ou ralou muito pra aprender?

Sabe isso até ajudou a esquecer o cansaço e as coisas que a gente tinha de voltar para buscar!

 

Um FORD abraço.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s