O novo de novo pede o antigo

relogioantigoclassicovintage-relogio-de-parede-classico-7-MLB4653360816_072013-F

Não adianta, não tem como negar ou tentar fugir, o antigo sempre volta, os clássicos nunca morrem e o novo… Bem, o novo tem a árdua tarefa de tentar emplacar, de tentar agradar e raramente consegue, ele só obtém sucesso quando o novo realmente é novo e não quando o novo se trata de ser repaginado, remodelado.

Dei a famosa sapeada pelos canais de TV, num raro acesso de insanidade que me ocorreu de ver alguma coisa em tv aberta (digo isso pois ao meu ver a grade de programação das grandes emissoras são deprimentes, já ultrapassaram a barreira do bom senso) vi duas coisas que me chamaram a atenção. A primeira delas falava da prisão de um tal de MC Coringa pelo quê não vem ao caso agora, mas pasmem, mesmo escrevendo mal as letras de apologia ao crime o funkeiro contava com ´´fãs´´, isso mesmo, eu disse fãs em vigília para sua libertação. Mãe do céu, como isso é possível?

Cadê o pessoal que ouvia uma letra de verdade que fazia refletir sobre a vida, sobre os acontecimentos do cotidiano? Os filhos do pessoal que ouvia Legião, Raul, Engenheiros, Camisa, Barão, Titãs estão ouvindo FUNK com letras de apologia ao crime? É isso mesmo? E pior, o funkeiro tem casa lotada. Aí fica minha dúvida, a apologia ao crime está virando algo bonito? De curtição e de sucesso? Ou nossos valores se inverteram? Perdemos a noção do que é certo, correto e de boa índole? Por favor, que os grandes ícones do rock voltem!

A segunda coisa que vi foi a chamada de um carro novo que não vou citar nem marca nem modelo, mas que já vai longe no mercado nacional… Olhando o novo lançamento lembrando muito ao que era novidade há alguns meses atrás, nenhum dos dois lembra os quadrados que começaram e eram cultos de desejo com suas rodas orbitais, seus aerofólios, vidros fumes, carenagem e o timbre GTS ou GT-i na coluna.

O antigo sempre tem seu brilho, sua alma, coisa que o lançamento não tem, não sei se por a gente ser saudosista e comparar com o passado, ou se porque leva um tempo para o lançamento criar alma, sinceramente não sei.

Mas o que eu digo pode ser visto no youtube. É um vídeo de um cidadão, ou melhor, dois transgredindo a lei por trafegarem acima da velocidade permitida. A parte cômica é que um deles está em um carro novo andando no limite que a parafernalha tecnológica do carro permite: 184 km/H e o outro dentro de um modelo antigo (podem acreditar, já posto o link do vídeo), uma belina e essa belina anda na frente do veiculo caro, novo e tecnológico do cidadão que não admite a inferioridade para o museu de quatro rodas que está dando o maior couro nele.

É, acho que o futuro é passado e que o passado anda tão presente (pena não estar além de presente: generalizado). Seria tão bom se a coisa voltasse a ser como era antigamente, teríamos mais músicas, mais carros com alma, mais ética e os valores seriam outros!

Um Ford Abraço

Sabugo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s